Sabia Que ?

| Imprimir |

Informações- Dádiva de Sangue- Cartão Nacional de Dador

Intervalo entre dádivas

Os homens podem dar sangue de 3 em 3 meses (4 vezes/ano) e as mulheres de 4 em 4 meses (3 vezes/ano) sem qualquer prejuízo para si próprios. Uma unidade de sangue total representa aproximadamente 450ml. Cada pessoa tem em circulação 5 a 6 litros de sangue, dependendo da sua superfície corporal. O sangue doado é rapidamente reposto pelo nosso organismo. Não há qualquer possibilidade de contrair doenças através da dádiva de sangue, pois todo o material utilizado é estéril e descartável e usado uma única vez.

Posso dar sangue?

Pode dar sangue se tiver bom estado de saúde, hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos.  Para uma primeira dádiva, o limite de idade é aos 60 anos. 

Não dê sangue se:

- alguma vez utilizou drogas por via endovenosa; 
- teve contatos sexuais a troco de dinheiro ou drogas;
- sendo homem/mulher, teve contatos sexuais com múltiplos(as) parceiros(as).

se foi parceiro sexual de:

- qualquer dos grupos anteriores;
- seropositivo para o Vírus de Imunodeficiência Humana – VIH;
- portador crónico do Vírus da Hepatite B e Hepatite C – VHB, VHC.

 e, ainda se:

- tem história familiar de Doença de Creutzfeldt-Jakob e variante –DCJ, vDCJ;

- fez tratamento com hormona de crescimento, pituitária ou gonadotrofina de      origem humana;
- fez transplante de córnea ou dura-máter;
- fez transfusão;
- tem Epilepsia, Diabetes insulino-dependente ou Hipertensão grave;

- teve Paludismo/Malária nos últimos 3 anos;
- teve parto nos últimos 6 meses; está a amamentar (adiar 3 meses após cessar o aleitamento); 
- foi operado nos últimos 4 meses;
- fez endoscopia nos últimos 4 meses;
- fez tatuagem ou piercing nos últimos 4 meses;
- teve um novo(a) parceiro(a) sexual nos últimos 6 meses.

Processo da dádiva

Todo o processo da dádiva demora em média 30 minutos. Relembramos que não deve dar sangue em jejum. Poderá tomar uma refeição ligeira sem álcool e sem gorduras, como por exemplo uma sanduíche e um sumo. Se almoçar, deverá completar as três horas de digestão antes de efetuar a sua dádiva.

INSCRIÇÃO

Ao dirigir-se a qualquer Centro Regional de Sangue ou Hospital com serviço de colheita, será atendido por um profissional dos serviços administrativos/técnico de relações públicas que preencherá a sua ficha. É importante que se faça acompanhar pelo seu Bilhete de Identidade para que os seus dados pessoais sejam preenchidos corretamente e para que, mais tarde, receba o Cartão Nacional de Dador de Sangue.

TRIAGEM CLÍNICA

Em seguida, é sempre observado por um médico. Esta triagem destina-se a avaliar o seu estado de saúde para que haja a certeza de que não será lesado pelo facto de dar sangue, nem será prejudicado o doente que o receber. É importante que fale abertamente com o médico sobre a sua história clínica e os seus hábitos de vida. Toda a informação fornecida por si é confidencial. Neste processo, ser-lhe-á entregue um documento denominado Termo de Consentimento Esclarecido para a Dádiva de Sangue. Este impresso será preenchido por si e pelo médico durante a triagem clínica. Neste questionário, o dador declara que leu e compreendeu toda a informação e que pôde ser esclarecido pelo médico sobre as dúvidas que surgiram, bem como que respondeu às questões com verdade, consciência e responsabilidade. 
Ambos, médico e dador, assinam este documento. Após o questionário, é avaliada a tensão arterial e frequência cardíaca e realizado o teste para a determinação do valor de hemoglobina, para verificar se os glóbulos vermelhos são suficientes para dar sangue, sem prejuízo para a sua saúde. Se houver alguma anomalia, poderá ser suspenso, temporária ou definitivamente, dependendo da situação. Acima de tudo é importante salvaguardar a saúde do dador e do doente.

COLHEITA DE SANGUE TOTAL

Uma vez aprovado para a dádiva de sangue, irá ser atendido por enfermeiros na sala de colheita. A punção venosa é realizada de acordo com procedimentos validados, com o auxílio de um sistema de saco e agulha estéril e de utilização única. Deste modo, é conferida a máxima proteção ao dador e ao receptor. Ser-lhe-ão retirados 450 ml de sangue correspondentes a uma unidade de Sangue Total.

REFEIÇÃO LIGEIRA

Por fim, após a colheita de sangue, é servida uma pequena refeição que permite mais alguns minutos de convívio com a equipa que o acompanhou. 
Assim, todos poderemos certificar-nos  que a dádiva de sangue constituiu uma experiência agradável!

Obrigado por podermos contar consigo!

 

 

Cartão Nacional de Dador de Sangue

A publicação da Portaria nº 255/2011 dia 1 de Julho de 2011  aprovou o novo modelo de Cartão Nacional de Dador de Sangue, da responsabilidade da Imprensa Nacional – Casa da Moeda. Todavia, a reestruturação dos serviços decorrente da criação do Instituto Português do Sangue e da Transplantação obriga à alteração desta portaria. Esta situação irá refletir-se na data prevista para início da respetiva emissão, estimando-se que este processo possa iniciar-se no segundo trimestre de 2012.

O novo cartão continuará a ser processado pelo IPS, IP., competindo aos Serviços responsáveis pelas colheitas realizar os respetivos pedidos, mantendo os procedimentos atuais.

Serão reemitidos todos os cartões existentes e processados os pedidos entretanto realizados.

Assim, para fazer prova da condição de Dador de Sangue, devem os dadores solicitar, junto do serviço responsável pela colheita, declaração comprovativa que ateste as suas dádivas ou situação enquanto dadores benévolos de sangue. Os dadores que detenham os atuais cartões devem conservá-los de forma a facilitar a identificação enquanto Dador de Sangue.

O número nacional já atribuído a cada Dador não será alterado.